Informação aos pais

Nos Escoteiros de Portugal desejamos que os pais desempenhem um papel importante no envolvimento dos filhos no Escotismo, através de um encorajamento continuado e de apoio ao seu desenvolvimento pessoal.


 

As Políticas de Proteção e Segurança na AEP

Os Escoteiros de Portugal, conscientes da sua responsabilidade enquanto movimento educativo, cuja ação é suportada por adultos voluntários, e dos problemas e riscos que existem na nossa sociedade para as crianças e jovens, assumem como suas políticas fundamentais a Proteção das Crianças e Jovens e a Segurança e Saúde expressas nos seguintes termos:

  • Proteção das Crianças e Jovens

A AEP assume como política a defesa e salvaguarda da integridade e bem-estar, em todos os aspetos, de cada um dos seus membros.

A AEP está comprometida em:

a) Ter sempre em conta os interesses e bem-estar dos jovens;

b) Respeitar os direitos, desejos e sentimentos dos jovens envolvidos na prática do Escotismo;

c) Dar todos os passos praticáveis e razoáveis para proteger os jovens de maus tratos físicos, ou psíquicos e abusos sexuais;

d) Promover o bem-estar dos jovens e a sua proteção dentro de uma relação de confiança.

Todos os associados efetivos adultos membros da AEP são responsáveis pela implementação da política de Proteção das Crianças e Jovens.

É responsabilidade de todos os adultos assegurar que:

a) O seu comportamento é sempre apropriado;

b) As regras para a proteção e integridade dos jovens são cumpridas;

c) Desenvolvem as ações adequadas perante a suspeita ou descoberta de maus tratos ou abusos de jovens;

d) Reconhecem a posição de confiança em que foram colocados;

e) As atividades são desenvolvidas num ambiente de respeito público;

e) As relações que estabelecem com os jovens que têm a seu cargo são a todos os níveis apropriadas e adequadas.

Qualquer associado, jovem ou adulto, que tome conhecimento de suspeitas de maus tratos ou abuso sexual de jovens deve comunicar com urgência essa informação à Chefia Regional respetiva e à Chefia Nacional.

Nos casos em que haja suspeita de maus tratos ou abuso sexual de jovens, a Chefia do Grupo, Regional ou Nacional, após tomarem conhecimento, devem atuar imediatamente para que não ocorra nenhuma situação nos escoteiros que possa causar mais preocupação ou situações de risco, independentemente da possibilidade do visado ser suspenso preventivamente.

  • Segurança e Saúde

É política da AEP desenvolver o Escotismo de uma forma segura e com riscos controlados para garantir a saúde, o bem-estar e a segurança dos seus membros.

É responsabilidade de todos os envolvidos na prática do Escotismo, em especial de todos os adultos,  procurar, dentro do que for razoável e praticável, assegurar que:

a) As atividades são desenvolvidas de uma forma segura e com o mínimo de riscos para os participantes;

b) Os equipamentos e edifícios destinados aos membros e outros são mantidos e utilizados de forma segura;

c) É fornecida informação, instrução, formação e supervisão para assegurar a segurança e bem-estar de todos os envolvidos nas atividades e os que podem ser afetadas por elas;

d) São feitos preparativos adequados para assegurar a segurança e a atenuação de riscos para o bem-estar e integridade referente ao uso, transporte, armazenamento, manuseamento de material, equipamento e substâncias que sejam perigosas ou potencialmente perigosas.

Todas as pessoas envolvidas na associação, adultos e jovens, são responsáveis pela aplicação da Política de Segurança da Associação.

É responsabilidade de todos cumprir as normas de segurança definidas para as atividades Escotistas e assegurar o seu bem-estar e segurança e dos outros.


  • Formas de ajudar os Escoteiros de Portugal

Os Grupos de Escoteiros são geridos e mantidos através do trabalho voluntário de vários adultos e sendo os Escoteiros uma organização sem fins lucrativos, são muitas as ajudas que podem ser prestadas pelos pais ou outros adultos.

Constituem formas habituais de colaboração dos pais e outros adultos:

  • Apoio em aspetos logísticos de atividades (transportes, contactos, alimentação, etc).
  • Participação na Comissão de Apoio ao Grupo, que tem por finalidade auxiliar na gestão administrativa, financeira e patrimonial do Grupo de Escoteiros.
  • Contribuição com donativos que serão utilizados diretamente pelo Grupo de Escoteiros.
  • Apoio como Instrutor do Grupo ou de uma atividade, numa área ou tema em que se sinta à vontade.
  • Integração nas Equipas de Dirigentes Voluntários

Se tem disponibilidade e vontade de ajudar contacte diretamente aos Dirigentes do Grupo de Escoteiros onde os seus filhos estão inscritos, para identificar o tipo de colaboração que é necessária e possível.

Obrigado.